quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

A Liga Extraordinária

Comentei em aula o enredo da graphic novel e (depois) filme A Liga Extraordinária. Por falha de memória eu não consegui me lembrar do nome do autor dessa interessantíssima HQ em 2 volumes. Cá está a correção: trata-se de mais uma obra do britânico Alan Moore, mesmo autor de Watchmen, V de Vingança, Constantine, Do Inferno. Todos os títulos com adaptação para o cinema, apesar das inúmeras críticas. A Liga... não é exceção, foi um fracasso de crítica e de público. Portanto, é melhor dar uma olhada no original de papel.
Moore reuniu numa história só anti-heróis (ou seriam heróis?) da literatura inglesa do século XIX com a missão de salvarem o mundo. Aproveitando o cenário da Era Vitoriana, período de maior poder e arrogância do Império Inglês, e as complexas personalidades de "indivíduos" como Dorian Gray, Allan Quatermain, Capitão Nemo, entre outros, o autor explora tanto o imaginário criado pela literatura quanto a memória criada em torno de uma "época de ouro".
Quem quiser mais detalhes sobre a HQ, clique aqui. Mas parece que está esgotada. Agora, só em sebos ou com colecionadores.
Para quem preferir o filme, aí está o trailer.



P.S. No original não existe Tom Sawyer, personagem do norte-americano Mark Twain.

2 comentários:

  1. Calma, você chega lá. Aliás, se der tudo certo esse tema será estudado por vocês no final do ano.

    ResponderExcluir

Segundo o dicionário, liberdade de pensamento é o "direito que cada um tem de expor suas opiniões, crenças e doutrinas", e este direito é garantido aqui. No entanto, qualquer comentário sexista, racista ou de algum modo ofensivo será apagado.